Cerejas

Silêncio

A Câmara Municipal está tratando de abolir os barulhos harmoniosos da cidade: os auto-falantes e as vitrolas. [...]
Gosto daqueles móveis melódicos e daquelas cornetas altíssonas. Fazem bem aos nervos. A gente anda, pelo centro, com os ouvidos cheios de algarismos, de cotações da bolsa de café, de câmbio, de duplicatas, de concordatas, de "cantatas", de negociatas e outras cousas chatas. De repente, passa pela porta aberta de uma dessas lojas sonoras e recebe em cheio, em plena trompa de Eustáquio, uma lufada sinfônica, repousante de sonho [...] E a gente pára um pouco nesse halo de encantado devaneio, nesse nimbo embalador de música, até que a altíssima farda azul marinho venha grasnar aquele horroroso "Faz favorrr, senhorrr!", que vem fazer a gente circular, que vem repor a gente na odiosa, geométrica, invariável realidade do Triângulo - isto é, da vida."
Urbano (Guilherme de Almeida), 1927.

8 de abril de 2017

Lô Borges "Meu Filme" ao vivo no Rival (RJ) 1996

Sempre quis postar o vídeo desse show, em que o Lô, ladeado pelos competentíssimos irmãos Beto e Wilson Lopes, todos aos violões, desfia várias pérolas de sua obra e as novas canções do então recém lançado "Meu Filme". Em geral encontrava cópias com má qualidade de vídeo, ou de áudio e vídeo, como essa. Vale pelo depoimento incial do Lô, falando de sua relação com o violão, e para sacar a música que abriu, que foi Para Lennon e McCartney, com o Lô sapecando um solo no final. De Equatorial em diante já podemos passar a assistir nesse vídeo diferente, que acabei de encontrar. Se a qualidade do sinal do som não é maravilhosa, o vídeo sim, é o melhor que eu já vi desse show.
Seria maravilhoso se isso um dia fosse um DVD. Uma das coisas que me preocupa no eminente sucateamento da rede pública de televisão é justamente o acervo que está constituiu, muitas vezes na contramão do que o mercado procura destacar. Certamente em meados dos anos 1990, se quisermos saber de toda uma produção da música popular brasileira que não se prendia às necessidades e ambições comerciais, vamos ter que recorrer ao acervo da tv pública, como Cultura, Rede Minas e TVE - Rio, que foi quem registrou esse belo show de forma que pudéssemos assisti-lo mais de 20 anos depois.


Nenhum comentário:

Postar um comentário